BLOG

O melhor conteúdo de
inteligência de mercado

O que fazer para evitar rupturas?

Sem uma boa gestão de estoque, os pontos de venda podem ter grandes prejuízos com as rupturas. O problema acontece quando um determinado produto não está disponível nem na prateleira e nem no estoque de um varejo.

Segundo dados da ACCERA, o índice médio de rupturas no setor supermercadista brasileiro no primeiro semestre de 2018 foi de 10,75%. Ou seja, a cada 100 produtos procurados em um varejista, cerca de dez deles não são encontrados pelo consumidor.

Normalmente, as rupturas são causadas pela má gestão de estoque. Em uma análise mais genérica, a falta de produtos pode acontecer por problemas de entrega e logística, falhas no abastecimento em gôndola, promoções mal dimensionadas (vendeu mais que o esperado), eventos e acontecimentos locais, mudanças bruscas de temperatura, entre outros fatores.

Por isso, é preciso estar muito atento ao comportamento de consumo de cada loja, administrar bem o fluxo de compra e reposição de mercadorias, instruir promotores para o correto abastecimento e acompanhar os indicadores de sell-out e estoque.

Sem uma análise frequente dos dados, o risco de ter rupturas se torna maior.

Tecnologia pode diminuir as rupturas?

Uma vez que o controle de estoque gira em torno de dados e indicadores, a tecnologia acaba sendo uma ferramenta indispensável para as empresas que desejam evitar rupturas e garantir o giro e a boa exposição dos seus produtos no PDV.

Sabemos que é impossível hoje fazer uma gestão eficiente sem ferramentas de automação que ajudem as equipes de vendas a acompanhar com mais agilidade os dados de sell-out e estoque, garantindo a disponibilidade das mercadorias na gôndola e, consequentemente, a satisfação do consumidor.

Hoje no mercado já existem sistemas de gestão que entregam painéis bem completos com dados de vendas e estoque dos varejos, permitindo importantes insights para a redução de rupturas e melhoria da performance de vendas.

Além de indicadores de sell-out, as equipes de vendas podem acompanhar também informações de positivação, dias de estoque, precificação e perdas, o que ajuda muito a tornar também as marcas mais competitivas, com uma análise fiel de cada loja ou mesmo o desempenho por categoria ou produto.

Portanto, se a meta da equipe de vendas é evitar rupturas, com acesso rápido a indicadores decisivos, as ferramentas automatizadas são essenciais.

Ao oferecer elevada acuracidade e compilar grandes quantidades de dados com agilidade, os profissionais de vendas têm uma visão geral do estoque, das categorias e dos produtos que estão com problemas em cada PDV.

Gostou do nosso artigo? Então, deixe suas dúvidas e sugestões aqui nos comentários! E sinta-se à vontade também para compartilhar nossos materiais em suas redes sociais. Até breve!

Vem com a gente